Home » Cadeia do Leite » Maduro vai definir preço máximo de leite em pó e outros itens na Venezuela

Maduro vai definir preço máximo de leite em pó e outros itens na Venezuela

13/09/2017 11:18:12 - Por: Agência de notícias Associated Press

Novo sistema tem como objetivo enfrentar as sanções impostas pelos EUA e combater a inflação.

Responsive image
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou um novo sistema de preços máximos para 50 produtos e serviços fundamentais, que espera aplicar em breve, em uma medida de combate à inflação. Ele também vai estabelecer a criação de um sistema de pagamentos baseado em uma cesta de moedas estrangeiros, com a finalidade de enfrentar as sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos. 

Em um discurso realizado na sessão da governista Assembleia Constituinte, o presidente venezuelano disse que serão iniciadas consultas a produtores e comunidades para determinar os "preços acordados e os preços máximos de venda à população" de 50 produtos e serviços fundamentais, entre os quais se inclui o leite líquido e em pó, macarrão, peixe, trigo, maionese, sabonete, azeites, entre outros.  

Maduro admitiu que os mecanismos de regulação "estão esgotados" e se faz necessário um novo sistema de preços. "Todos os preços estão inflacionados a mais de 1.000%", disse.  

Por outro lado, o presidente indicou que decidiu criar um sistema de pagamentos baseado em uma "cesta de moedas" estrangeiras que se utilizará para vender e cobrar os produtos internacionais. "Se nos perseguem pelo dólar, vamos jogar com o rublo russo, como yuan, com o iene, com a rupia indiana, com o euro", expressou Maduro, ao assegurar que a medida busca enfrentar as sanções econômicas impostas por Washington no mês passado.  

A cesta de moedas começará a operar de forma imediata para as operações do sistema de aquisição de divisas conhecido como Dicom.

Crise

A Venezuela vive uma crise econômica e política desde 2014, mas que se intensificou em abril deste ano. Sem abastecimento de alimentos, os venezuelanos procuram alternativas para sobreviver, tendo que produzir em casa por exemplo, produtos essenciais como sabonetes e pasta de dente. Além disso, mais de 160 pessoas já morreram em conflitos envolvendo forças de segurança, apoiadores e opositores do governo de Maduro.