Home » Cadeia do Leite » Brasil não seguiu critérios técnicos para barrar leite uruguaio

Brasil não seguiu critérios técnicos para barrar leite uruguaio

01/11/2017 08:29:13 - Por: Diário do Comércio

A medida foi uma resposta às denúncias de produtores de que havia triangulação do produto entre o vizinho sul-americano e outros países.

Responsive image
Questionado por deputados na Câmara sobre desdobramentos da suspensão das importações brasileiras de leite em pó do Uruguai por tempo indeterminado, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse nesta terça-feira que sua decisão não seguiu critérios técnicos. Segundo ele, a medida foi uma resposta às denúncias de produtores de que havia triangulação do produto entre o vizinho sul-americano e outros países.

"Não tive razão técnica para suspender, mas aprendi desde a Operação Carne Fraca que países fecham mercados por notícia de jornal. Então, por quê não podemos também suspender as importações do leite uruguaio para averiguar denúncias de triangulação?", disse Blairo em audiência pública na Comissão de Controle e Fiscalização da Câmara sobre os efeitos da Operação Carne Fraca sobre o mercado brasileiro.

A decisão do ministro revoltou os uruguaios e pode ser questionada por Montevidéu na Organização Mundial do Comércio (OMC). O episódio também constrangeu o presidente Michel Temer, já que o Brasil ocupa atualmente a presidência do Mercosul.

Uma comitiva de técnicos do Ministério da Agricultura já está em Montevidéu para uma auditoria em documentações e laticínios uruguaios. A intenção, disse o ministro, é investigar as denúncias de triangulação. "Mas também queremos que o Uruguai sente conosco para discutir sobre cotas de importação, a exemplo da Argentina".