Home » Cadeia do Leite » Sucesso futuro dos produtos lácteos depende da produção sustentável e responsável

Sucesso futuro dos produtos lácteos depende da produção sustentável e responsável

19/01/2018 10:39:35 - Por: FarmingUK e Farmers Guardian, traduzidas pela Equipe MilkPoint

Líderes da indústria de lácteos de todo o mundo discutirão a percepção pública combinada com o impacto ambiental e socioeconômico dos produtos lácteos.

Responsive image
O sucesso futuro da indústria de lácteos depende da sua capacidade de contar a história sobre como o leite é produzido de forma sustentável e responsável, de acordo com especialistas do setor.

Líderes da indústria de lácteos de todo o mundo discutirão a percepção pública combinada com o impacto ambiental e socioeconômico dos produtos lácteos no Simpósio da Federação Internacional de Lácteos (IDF) em Sevilha, Espanha, nos dias 1 e 2 de fevereiro.

Os consumidores estão mostrando um interesse crescente pela origem de seus alimentos e estão procurando a garantia dos produtores, processadores e varejistas de que o alimento é produzido de forma responsável.

Por exemplo, esse crescente interesse levou o secretário do Departamento de Meio-Ambiente, Alimentos e Assuntos Rurais (Defra), no Reino Unido, Michael Gove, a anunciar um "padrão-ouro" na rotulagem de alimentos, que destaca as credenciais e a qualidade dos produtos britânicos nos supermercados.

Como consequência desse crescente interesse, os varejistas estão buscando maneiras de fornecer essa garantia aos seus consumidores, seja através da criação de avaliação de origem sustentável seja por programas de auditoria ou endosso de programas existentes da indústria de lácteos.

FARM

Nos Estados Unidos, cerca de 98% de todas as fazendas pertencem ao Programa Nacional de Lácteos FARM (Farmers Assuring Responsible Management), que estabelece padrões mais elevados para cuidados com animais, uso de antibióticos e sustentabilidade ambiental - tudo no espírito de melhoria contínua.

O Programa FARM foi recentemente aprovado como compatível com a Especificação Técnica ISO sobre Bem-estar Animal - indicando que o programa agora atende aos mais altos padrões internacionais para o cuidado e bem-estar dos animais.

Emily Meredith, da Federação Nacional de Produtores de Leite (EUA), explicou: "O sucesso futuro da indústria de lácteos depende da nossa capacidade de contar a nossa história sobre como o leite é produzido de forma sustentável e responsável. Os programas da indústria, como o National Dairy FARM Program, nos Estados Unidos, ajudam tanto a estabelecer padrões para os produtores quanto para contar a nossa história de sustentabilidade de forma confiável para produtores e consumidores de alimentos".

Meredith disse que a produção de leite tem uma "posição muito única". Por um lado, ela fornece meios de subsistência para centenas de milhões de pessoas e para muitos é essencial para sua sobrevivência. Mas, por outro lado, representa uma grande proporção do custo, dos recursos utilizados e das emissões de gases de efeito estufa da cadeia de produtos lácteos.

Mensagens anti-lácteos

A indústria britânica de lácteos está sendo estimulada a combater as mensagens anti-lácteos com mensagens positivas sobre a indústria, a fim de negar a crescente crítica dos grupos contrários ao setor.

Essa foi a mensagem da consultora de sustentabilidade na pecuária, Judith Capper, na Conferência Anual de Produtos Lácteos da Semex, quando pediu aos produtores de leite que enviassem as mensagens certas aos consumidores.

Enquanto os veganos e os vegetarianos constituem uma pequena parte da população, Capper, que já sofreu agressões por parte de manifestantes, disse que eles "falam alto" e que ela havia notado um número crescente de mensagens focadas no impacto da indústria de lácteos sobre o meio ambiente.

Mas ela disse que o leite fluido tem uma pegada de carbono "bastante baixa" ao considerar sua densidade de nutrientes para o impacto climático, menor do que as alternativas de soja ou aveia.

"Quanto maior o rendimento, geralmente, menor a pegada de carbono e produtividade é vital para o impacto ambiental", acrescentou. Mas ela disse que a indústria não deve se concentrar em "extremos", mas nos consumidores sem uma opinião fixa sobre a agricultura.

"Nós não vamos transformá-los em consumidores felizes de carne e leite assim como eles não vão nos transformar em vegetarianos e veganos", acrescentou.

Jovens

Como o grupo provavelmente está considerando um abandono dos lácteos, as pessoas mais jovens precisavam ser o alvo.

Dominic Brown, da Kantar Worldpanel, destacou como os produtos lácteos se beneficiaram de um impulso crescente para que fossem vistos como alimentos saudáveis, com muitas pessoas voltando a consumir manteiga.

As pessoas estão procurando mais produtos naturais, em vez de produtos com pouca gordura e estão dispostas a pagar um prêmio por isso. Há também oportunidades para que os produtos lácteos sejam consumidos juntamente com produtos relacionados à saúde, já que 95% dos produtos lácteos são consumidos junto com outro alimento.

Ela também disse que o leite fluido possui espaço para inovação, com os produtos tradicionais podendo ter maior valor agregado sendo ultrafiltrados, orgânicos, oriundos de animais criados ao ar livre, entre outras coisas.

A iniciativa de pagar um pouco a mais aos produtores pelas redes de varejo Asda e Morrisons também fez sucesso. Quarenta e seis por cento dos consumidores disseram que ficariam felizes de gastar um pouco mais no leite se o valor retornasse aos produtores.