Home » Cadeia do Leite » 4 erros que você não deve cometer ao abrir uma loja de queijos

4 erros que você não deve cometer ao abrir uma loja de queijos

27/02/2019 13:53:18 - Por: Osvaldo Martins de Barros Filho. Foto: Queijo com olhaduras, produtor Eduardo do Serro.

A cada dia, mais empreendedores aventuram no universo queijeiro abrindo empórios, boutiques ou até mesmo uma banca em alguma feira.

Responsive image
É crescente o público que consome e aprecia queijos artesanais. Diante deste nicho, a cada dia, mais empreendedores aventuram no universo queijeiro abrindo empórios, boutiques ou até mesmo uma banca em alguma feira.

Como o mundo está cheio de pessoas boas e, infelizmente, de pessoas más com péssimas intenções, foi necessário a criação de um Sistema de Proteção ao Queijeiro – SPQ, um grupo de whatsapp (faço parte desde o início da sua criação) onde produtores e fornecedores confidenciam entre si bons e maus pagadores. Analisando as principais queixas ao longo das discussões do grupo, segue 4 erros que você não deve cometer ao abrir uma loja de queijos:

1 - COMPROU? PAGUE! A mais dolorida e recorrente reclamação é de lojista que compra os queijos e não paga. NÃO COMETA ESTE ERRO! As desculpas geralmente são as mesmas: esfarrapadas. O pior, o mesmo que deve pra um deve para vários. Para evitar o aborrecimento do calote pede-se depósito antecipado. O problema agrava-se quando o lojista começa pagando direitinho e depois dá o tombo. Daí não atende mais o telefone, não visualiza mais as mensagens e some no mapa.

2 - CUIDADO COM OS QUEIJOS: Quer ver um queijeiro ter um treco no coração? Deixa o queijo dele esturricado no sol (quando requerer refrigeração), acondicionado de qualquer maneira no balcão ou na prateleira, empilhado demasiadamente chegando a amassar e desfigurar os queijos. NÃO COMETA ESTE ERRO! Trate com carinho o alimento vivo que foi produzido com muito amor. Na dúvida é melhor averiguar com o produtor a melhor forma de armazenamento.

Queijo falsificado e sem cuidado, Canastra defumado.

3 - VENDER QUEIJO FALSIFICADO: Quem quer entrar no ramo tem que pelo menos saber que não existe CANASTRA DE ARAXÁ. Canastra é Canastra. Araxá é Araxá. São duas regiões distintas. NÃO COMETA ESTE ERRO! Minas Gerais tem 7 regiões reconhecidas pelo Governo: Araxá, Canastra, Campo das Vertentes, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro. Alagoa e Mantiqueira de Minas, entre outras, serão novas regiões a serem reconhecidas. Além de Minas Gerais, outros Estados brasileiros também produzem queijos. Verifique a procedência e a origem do queijo. Seu cliente agradece!

Queijo falsificado.

4 - VENDER QUEIJO FURADINHO: Você também precisa saber a diferença entre as olhaduras dos coliformes fecais ou estafilococos patogênicos (isso é um péssimo sinal de contaminação) das olhaduras produzidas pelas bactérias propiônicas (ótimo sinal da fermentação). NÃO COMETA ESTE ERRO. São duas situações distintas. É de matar quando deparamos com: Queijo Canastra de Araxá Extra Furadinho.

Queijo furadinho Canastra de Araxá.

Apesar destes dissabores seguimos catequizando os clientes, explicando a essência do queijo artesanal e lutando pelo movimento #salveoqueijoartesanal colaborando com o debate das leis no âmbito federal, estadual e municipal. Mas isso deixamos para o artigo do próximo mês!

* Osvaldo Martins de Barros Filho é de Alagoa/MG, empreendedor mineiro na Queijo d’Alagoa-MG, pioneiro na venda de queijo pela internet, bacharel em Direito, palestrante, Secretário da Comissão do Queijo Artesanal da ABRALEITE; escreve ao GUIALAT mensalmente.