Home » Cadeia do Leite » SanCor apressa negociações para encontrar sócio

SanCor apressa negociações para encontrar sócio

12/06/2017 09:41:40 - Por: La Nación, traduzidas MilkPoint

A Sancor precisa recuperar os volumes de leite para ser atraente para os investidores.

Responsive image
Após a reunião dos membros da semana passada permitir a incorporação de parceiros estratégicos, entre outras coisas, a cooperativa de lácteos argentina SanCor começou a tomar decisões em duas direções bem definidas. Por um lado, nos últimos dias aumentou contatos com grupos de investidores que já manifestaram interesse em comprar ativos. Alguns executivos passaram pelo país e outros o farão nas próximas semanas.

Por outro lado, a cooperativa decidiu aplicar um corte no seu pessoal. Com um total de 4.000 funcionários, está prevista uma redução superior a 500 postos por meio de diferentes alternativas de desvinculação.

Com parte dos 450 milhões de pesos (US$ 28,09 milhões) que o governo argentino já deu por meio de um fideicomisso, a empresa começou a regularizar uma dívida enorme que tem com produtores, funcionários e fornecedores de insumos. E isso está tomando medidas para incorporar sócios, como votado na assembleia. Já houve contatos com a Lactalis (França) e com a Fonterra (Nova Zelândia), e haverá um maior intercâmbio nas próximas semanas. O Grupo Lala (México) também avisou de seu interesse, apesar de seus gerentes não estarem no país para falar com os executivos da SanCor. A uruguaia Conaprole disse que gostaria de começar as conversações, mas a SanCor considera que não teria estrutura suficiente para uma operação desta natureza.

Para a operação, o critério considerado é que o possível comprador, que faria o acordo através de uma sociedade anônima, teria 70% do controle dos ativos, contra 30% que conservaria a cooperativa de produtores. Nenhuma operação deve ser concluída antes das eleições de outubro.

A empresa tem quatro plantas totalmente inativas: Moldes e Brinkmann (Córdoba), Centeno (Santa Fé) e Charlone (Buenos Aires). Essas plantas permanecerão fechadas e só alguma delas poderia reabrir se a empresa conseguir recuperar parte do volume perdido de leite. Vale lembrar que de um nível de processamento diário acima de três milhões de litros, a empresa caiu para 700.000 litros por dia.

A Sancor precisa recuperar os volumes de leite para ser atraente para os investidores. Embora para essas plantas também haja a possibilidade de vendê-las separadamente, nos últimos dias, prevaleceu o critério de deixá-las fechadas e enfrentar uma possível venda em um desprendimento geral dos ativos da empresa.

Após a última assembleia, decidiu-se que a SanCor buscaria se desprender dos 10% que ficou do negócio de produtos frescos (iogurtes, pudins e cremes) depois de no ano passado vender 90% ao grupo Vicentín por US$ 100 milhões. Esta operação foi feita após a criação da sociedade Alimentos Refrigerados (ARSA) e, além disso, do controle do negócio; a Vicentín ficou com duas plantas e 500 funcionários. A SanCor assumiu não só o fornecimento de leite, mas de logística. Quase um ano depois dessa operação, circularam versões sobre curtos-circuitos entre as duas empresas. Na verdade, à SanCor agora não interessaria ceder os 10% restantes.

Em 08/06/17 – 1 Peso Argentino = US$ 0,06244
16,0059 Peso Argentino = US$ 1 (Fonte: Oanda.com)