Home » Cadeia do Leite » CILeite: Custo de produção de leite apresenta queda de 0,13% em Maio

CILeite: Custo de produção de leite apresenta queda de 0,13% em Maio

16/06/2017 08:23:52 - Por: Embrapa. Foto Humberto Nicoline/Embrapa

Três grupos contribuíram para reduzir o valor do índice final obtido.

Responsive image
O custo de produção de leite em maio registrou uma queda de 0,13% em relação aos custos apurados para abril, mantendo a tendência de queda contínua registrada nos primeiros cinco meses do ano de 2017, de acordo com o Índice de Custos de Produção de Leite – ICPLeite/Embrapa1 , calculado pela Embrapa Gado de Leite.

Este cenário único desde que foi criado o Índice, em abril de 2006. Três grupos contribuíram para reduzir o valor do índice final obtido. São eles: Sal mineral (-1,28%), Qualidade do Leite (-0,41%) e Concentrado (-0,30%). Por outro lado, outros três grupos registraram elevação: Produção e compra de volumosos (0,17%), Energia e Combustível (0,14%) e Sanidade (0,02). Os grupos Reprodução e Mão de obra não apresentaram variação de custos no mês de maio.

Os resultados observados encontram-se na Tabela 1.


O ICPLeite/Embrapa continua registrando redução de custos no acumulado do ano. Entre janeiro e maio, a queda foi de - 6,57%. O grupo Concentrado lidera a queda em 2017, acumulando -17,86%. Outros três grupos também registraram comportamento negativo no acumulado dos primeiros cinco meses deste ano. São eles: Energia e combustível (-3,10%), Produção e Compra de Volumosos (-0,99%) e Reprodução (-0,07%).

Em 2017, a principal elevação de custos se deu com o grupo Mão-de-obra. No acumulado do ano foi de 5,29%. O grupo Sal Mineral registrou elevação de 2,85%, seguido por Sanidade 1,39% e Qualidade do leite 1,07%. Os dados encontram-se na Tabela 2.


No acumulado em doze meses o ICPLeite/Embrapa continua registrando deflação. Neste período a redução de custos de foi de -3,50%, puxado pela redução dos custos de Concentrado. No acumulado do ano a redução foi de -15,11%. A magnitude da queda deste grupo e sua importância relativa explicam o fato de ter sido somente este grupo a apresentar queda e ainda assim influenciar o resultado final do índice.

Dentre os grupos que puxaram os custos para cima, Mão de obra registrou 8,02%, seguido por Qualidade do leite, que foi de 6,22%. Os demais grupos acumularam variação positiva entre 3,45% e 4,43%, a exceção de Reprodução, que variou somente 0,04% entre junho de 2016 e maio de 2017. Os dados encontram-se na Tabela 3.