Home » Cadeia do Leite » Produção global de leite volta à tendência de crescimento

Produção global de leite volta à tendência de crescimento

10/07/2017 08:56:08 - Por: Steph Holloway, editora da Dairy Week, NZX Agri, traduzido pela MilkPoint

A melhoria na situação dos mercados mundiais de produtos lácteos, abriu caminhos para o aumento nos preços do leite.

Responsive image
Os produtores de leite da Oceania enfrentaram algumas condições desafiadoras nos últimos anos, mas, está ocorrendo uma recuperação e, juntamente com melhorias registradas na Europa também, o fornecimento global de leite voltou ao modo de crescimento.

O crescimento da produção de leite em todo o mundo em 2016 foi o mais baixo desde 1998, demonstrando o impacto sentido pela crise no setor de lácteos. Mas agora, a melhoria na situação dos mercados mundiais de produtos lácteos, abriu caminhos para o aumento nos preços do leite, elevando o teto de produção de leite na Oceania e na Europa.

A produção da Nova Zelândia terminou na última estação apenas 0,6% menor em relação ao ano anterior. O último trimestre da estação apresentou crescimento de 7% graças às condições favoráveis no final do verão e outono e colocou os produtores em uma boa posição para começar a nova estação. Com um aumento nos preços do leite previstos para esta estação, que começou em junho, o AgriHQ previu um aumento de 4% na produção de leite.

Susan Kilbsy, analista do AgriHQ, disse em termos percentuais que os aumentos provavelmente parecerão muito maiores do que isso durante os primeiros meses de produção. Os contratos extras de leite no inverno disponíveis este ano significarão mais leite coletado durante junho e julho, mas os volumes reais ainda serão baixos.

Apenas 1,7% da oferta anual de leite é tipicamente coletada durante junho e julho. As captações de leite em agosto, setembro e outubro, chegando ao pico da estação, também deverão ser muito superiores ao ano passado.

Os formadores de opinião do mercado também estão prevendo que os produtores de leite australianos poderão fazer um retorno na próxima temporada. A estação atual, que terminará no final de junho, deverá finalizar com queda de cerca de 8% com relação ao ano anterior - resultado de uma estação muito difícil com preços baixos do leite e condições climáticas adversas no início da temporada. 

Uma previsão melhor para o mercado global de lácteos e uma forte concorrência entre os processadores para garantir a oferta gerou previsões de maiores preços do leite para a próxima estação.

A Dairy Australia disse que isso, combinado com condições climáticas mais normais esperadas, levaria a uma recuperação lenta na próxima estação, aumentando 2-3%. No entanto, a entidade advertiu que a recuperação na Austrália provavelmente será limitada pelo impacto nas finanças devido ao tamanho dos rebanhos e à confiança nesta estação. A produção de leite na Europa deverá mostrar um crescimento de 0,6% este ano, mas o crescimento real a partir daqui será muito maior, compensando a contração de 2,1% do primeiro trimestre.

As ofertas mundiais de leite estavam em crescimento negativo entre junho de 2016 e fevereiro de 2017, mas temos observado um crescimento positivo desde então.

Não se deve esperar um salto brusco na produção, já que essas respostas não durarão por muito tempo, mas desta vez, um crescimento mais moderado da demanda manterá os preços dos produtos lácteos em cheque e colocará um teto sobre os preços do leite para limitar o aumento na produção. Também há menos capacidade de crescimento intenso devido a uma resposta da indústria a regulamentos ambientais.