Home » Cadeia do Leite » Lobby do setor de lácteos dos EUA aumenta a pressão sobre o Canadá

Lobby do setor de lácteos dos EUA aumenta a pressão sobre o Canadá

21/07/2017 14:19:34 - Por: Reuters, traduzidas pela Equipe MilkPoint

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse em abril que defenderia os produtores nacionais de produtos lácteos contra o que ele chamou de práticas injustas do Canadá.

Responsive image
O lobby da indústria de lácteos dos Estados Unidos está aumentando a pressão sobre o Canadá à medida que as negociações para renegociar o NAFTA se aproximam, demandando concessões que o governo canadense parece não querer conceder. O resultado pode ser uma briga que envolve esforços para modernizar o Acordo de Livre Comércio da América do Norte, segundo o qual o Canadá envia a maior parte de suas exportações para os Estados Unidos. O México é o terceiro membro do acordo.

Os produtores dos EUA vêm criticando o controle da oferta, os termos do sistema de tarifas e cotas do Canadá para manter os preços domésticos altos e as importações baixas. Um acordo de 2016 permitiu que os produtores canadenses vendessem proteínas do leite - que são usadas para fazer queijo e iogurte - para processadores domésticos com desconto, diminuindo o fluxo das importações americanas. Esse fato aumento o descontentamento do setor americano.

Jaime Castaneda, vice-presidente sênior do Conselho de Exportação de Lácteos dos Estados Unidos (USDEC), disse que o influente grupo de lobby buscará novos desafios através da Organização Mundial do Comércio, a menos que o Canadá interrompa a venda de proteínas. "Se não pudermos resolver isso por meio de negociações, acredito que meus membros serão muito claros para que tudo esteja na mesa", disse ele em uma entrevista por telefone.

Um painel da OMC decidiu em 2002 que o Canadá violou suas obrigações comerciais através de subsídios ilegais à sua indústria de lácteos. Os Estados Unidos e o Canadá chegaram a um acordo em 2003. Castaneda disse que os desafios contra as vendas de proteínas podem eventualmente resultar em decisões que obrigam o Canadá a abandonar o controle da oferta.

Em junho, o secretário de Agricultura dos EUA, Sonny Perdue, disse que preferiria resolver as irritações do setor de lácteos antes que as negociações do NAFTA começassem e disse que o controle da oferta estava bem desde que não prejudicasse a indústria dos EUA. Mas em 14 de julho ele pareceu endurecer sua posição, dizendo que, através de uma porta-voz, sentiu que "todas as opções deveriam estar na mesa" nas negociações do NAFTA e que a indústria de lácteos continuava sendo uma preocupação. Washington divulgou as suas metas para negociar o NAFTA na segunda-feira, dizendo que procurou eliminar barreiras não-tarifárias às exportações agrícolas dos EUA.

O Canadá, no entanto, sente que a linguagem está mais dirigida para o México, que gera um grande superávit comercial com os Estados Unidos, disse uma fonte familiar com o pensamento do governo canadense. O comércio de bens e serviços do Canadá com os Estados Unidos é mais ou menos equilibrado. Embora os produtos lácteos tenham sido originalmente excluídos do acordo original de 1994, os Estados Unidos podem pressionar para que eles façam parte das negociações sobre um novo acordo.

Apesar disso, o governo do primeiro-ministro Justin Trudeau tem pouco interesse em comprometer-se. "Somos totalmente compatíveis com o comércio e o comércio de produtos lácteos favorece massivamente os Estados Unidos", disse uma fonte do governo canadense. O setor de lácteos do Canadá inclui C$ 6 bilhões (US$ 4,75 bilhões) em vendas anuais de leite pelos produtores. Com medo da força do lobby da indústria doméstica, os políticos canadenses tratam os produtos lácteos como algo sagrado.

Em maio, os produtores de leite ajudaram a garantir a derrota de um candidato líder do partido conservador que defendeu a eliminação da gestão da oferta. "Os produtores de leite são uma força a ser considerada. Penso que (os políticos) farão bem em ouvir nossas preocupações", disse o produtor de leite de Manitoba, David Wiens, executivo da influente Dairy Farmers of Canada.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse em abril que defenderia os produtores nacionais de produtos lácteos contra o que ele chamou de práticas injustas do Canadá. O lado americano também quer que o Canadá comece a reduzir as tarifas para permitir mais importações. Como parte das negociações sobre um tratado comercial do Pacífico incluindo 12 países proposto em 2015, o Canadá concordou em abrir 3,25% anualmente de seu fornecimento de lácteos. Esse tratado ainda estava nascendo e os produtores canadenses deixaram de falar de concessões. 

Em 20/07/17 – 1 Dólar Canadense = US$ 0,79260
1,26150 Dólar Canadense = US$ 1 (Fonte: Oanda.com)