Home » Cadeia do Leite » Programa piloto acompanha de perto os antibióticos do grupo tetraciclina no leite dos EUA

Programa piloto acompanha de perto os antibióticos do grupo tetraciclina no leite dos EUA

25/07/2017 08:30:39 - Por: Dairy Reporter, traduzidas pela Equipe MilkPoint

As tetraciclinas são uma família de antibióticos utilizados para tratar rebanhos leiteiros para problemas de saúde, como dermatite digital.

Responsive image
A Food and Drug Administration (FDA) iniciou um programa piloto este mês testando o fornecimento de leite nos EUA para antibióticos do grupo tetraciclina. O programa será executado no mínimo por 18 meses com os resultados divulgados em 2019. As tetraciclinas são uma família de antibióticos utilizados para tratar rebanhos leiteiros para problemas de saúde, como dermatite digital.

O programa visa garantir que os resíduos de tetraciclina acima de 330 ppb não estejam entrando no fornecimento dos produtos lácteos testados.  O projeto piloto foi aprovado em 2015 pela Conferência Nacional de Distribuição de Leite e pela FDA para expandir a variedade de drogas, além dos beta-lactâmicos, que são testadas no leite cru.

"Nosso objetivo é usar isso como uma maneira de demonstrar o excelente trabalho que estamos fazendo para garantir que os antibióticos não acabem nos produtos lácteos", disse Beth Briczinski, Ph.D., vice-presidente de alimentos lácteos e nutrição da Federação Nacional de Produtores de Leite (NMPF). Todos os transportadores de leite interestaduais em todos os 50 Estados dos EUA e Porto Rico deverão participar do programa.

"Este novo programa reflete em grande parte o programa de triagem dos beta-lactâmicos em andamento, que há décadas verifica cada carga de leite de um caminhão-tanque para a classe de drogas de penicilina", escreveu o presidente-executivo da NMPF, Jim Mulhern, em um blog.

"As descobertas desse programa devem reforçar o conhecimento de que a combinação de educação, tratamento veterinário proativo e manutenção cuidadosa de registros da indústria fazem um ótimo trabalho para minimizar as chances de que algum nível de antibiótico apareça no leite”. 

Desde 1996, a porcentagem de caminhões-tanque de leite que apresentou resultados positivos nos testes para a presença de beta-lactâmicos caiu de 0,104% para 0,011% em 2016, de acordo com a NMPF. "Durante este período de 20 anos, qualquer um dos caminhões que apresentaram resultados positivos para resíduos foram descartados, de forma que o leite nunca chegou às prateleiras das lojas", disse Mulhern.

Atualmente, a soma dos resíduos de tetraciclina (clorotetraciclina, oxitetraciclina e tetraciclina) presente no leite cru não deve exceder 300 ppb, de acordo com os regulamentos da FDA. Outros países, como Rússia, têm regulamentos muito mais rigorosos sobre os níveis de tetraciclina em produtos lácteos, considerando qualquer coisa que exceda 12,8 ppb como imprópria para consumo humano.

O leite que está sendo testado no programa deve atender ao requisito mínimo de 300 ppb, mas o teste de tetraciclina também permitirá que os processadores testem níveis mais baixos do antibiótico para atender às regulamentações de exportação em outros países.