Dólar valorizado impulsiona exportação de lácteos no 1º semestre

21-07-2021 12:03:55 Por: Munira Nasrrallah e Juliana Santos em Boletim do Leite Cepea

Dólar valorizado impulsiona exportação de lácteos no 1º semestre
No primeiro semestre de 2021, os embarques de produtos lácteos somaram 21,1 mil toneladas, 45,6% acima do volume escoado no mesmo período de 2020 e 16,7% superior ao do segundo semestre de 2020. Esse cenário esteve atrelado especialmente à valorização de 9,4% na moeda norte-americana frente ao Real no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2020. Os produtos lácteos mais exportados pelo Brasil foram o leite em pó e o leite condensado, representando por 23% e 21%, respectivamente, do total escoado pelo setor de janeiro a junho.

Já as importações totalizaram 72,3 mil toneladas de lácteos no primeiro semestre, quase 40% a mais que de janeiro a junho de 2020, mas redução de 41% em relação ao segundo semestre de 2020. Apesar do dólar elevado, a oferta limitada de matéria-prima no Brasil forçou as compras externas de lácteos para suprir a demanda doméstica. Representando 60% do volume importado, o leite em pó foi o item mais adquirido no período.


Junho – As exportações de lácteos em junho totalizaram 4,3 mil toneladas, forte aumento de 13,1% frente ao mês anterior e de 81,3% frente a junho/20. As vendas externas de leite em pó aumentaram em 45 vezes em relação ao mesmo mês do ano anterior, somando 1,5 mil toneladas, das quais 98% tiveram como destinado a Argélia. As vendas de leite fluido, segundo item mais exportado, estiveram 4 vezes superiores às de junho/20, totalizando 687 toneladas, sendo o Uruguai o maior destino (81%).

Já as importações somaram 8,8 mil t em junho/21, aumento de 5,6% frente ao mês anterior e de 2,4% em relação a junho/20. O leite em pó e os queijos representaram juntos 85% do volume total importado, somando 5,2 mil t e 2,2 mil t respectivamente. Os países do Mercosul foram os principais fornecedores do Brasil.

De maio para junho, o déficit da balança comercial se manteve praticamente estável, em 4,6 mil t de produtos lácteos. Em contrapartida, por conta dos elevados preços de importação, o déficit financeiro foi de US$ 22,6 milhões em junho, alta de 4% sobre o de maio.

As informações são da Munira Nasrrallah e Juliana Santos em Boletim do Leite Cepea.